Make your own free website on Tripod.com
Programa da Manhã
Entrevista à revista Bréfing

HOME

A Luta pelo PM
Notícias
Chegámos aos Jornais
Os nossos meninos
No antigo site da RC
Best of Vilaret
Coliseu do Porto
Tivolli
Links interessantes
Downloads
Forum
A Saga de Pêro Turjal
Contactos

Esta é uma entrevista muito especial, efectuada no passado mês de Abril ao GRANDE Pêro Turjal à Revista Bréfing. Qualquer semelhança que enconterm entre esta e outras entrevistas , que já tenham ouvido, trata-se, como é óbvio, de pura coincidência. Agradecia que a mesma não extravasasse os limites deste local, devido ao facto de não ter nada de relevante, se tratar somente de uma brincadeira de dificil compreensão para quem não o frequenta assiduamente.
 
Texto de Joaquim Varela

Bréfing- Pêro, como é que te aparece uma ideia para uma rádio?

Pêro Turjal- É pá, às vezes aparece assim do nada. Nem sei bem explicar. Estou muito bem descansado e zás, cai-me no colo assim sem mais nem menos. Outras vezes tenho em linha de conta estudos de mercado e outras ainda tento seguir os passos da concorrência.

B- Normalmente as pessoas têm heróis. Tu já conheceste algum herói da rádio? Quem?

PT- Uma série deles. Mas a minha maior referência, quer pelo carinho que lhes dispenso, quer pelo seu carisma é o Artur Aigostinho, conjuntamente com o António Saleta.

B- Qual foi o 1º disco que compraste?

PT- Deixa cá ver. Hum.... Essa é bem dificil.... Talvez um da Donna Summer, ou dos Village People.

B- Há algum músico que gostasses, que fizesse rádio contigo?

PT- Não. Só gosto de fazer rádio sózinho.

B- Eu cada vez que ouço o Tom Waits dá-me sempre a ideia de que a voz lhe vai faltar no momento a seguir. Já alguma vez te faltou a voz?

PT- A mim não, que eu tomo pastilhas de alho do Dr. Rogoff, precisamente para evitar essas coisas.

B- As rádios de música, vulgo juke-boxs, são cada vez mais competitivas. Diz-me uma coisa, quais são os passos que dás para que as tuas rádios sejam grandes?

PT- Olha, eu tenho um excelente gosto musical e bastante variado. Para as rádios é só seleccionar umas quantas músicas que eu gosto e depois pô-las a rodar aleatoreamente.

B- És tu que escolhes as músicas?

PT- Claro. Se não o que é que estava aqui a fazer...

B- Olha, a última rádio que fizeste, qual foi?

PT- O última, ....a última... deixa cá ver... esta cabeça já não é o que era! Sinceramente já nem me recordo qual foi, mas por certo que é uma boa rádio.

B- Quanto tempo é que demorou a fazer?

PT- É pá, não deve ter demorado mais de 2 horas

B- O que é que é mais gratificante para ti? É animar uma rádio ou geri-la?

PT- Geri-la, claro. Para além de ser mais estimulante, e criativo, é mais compensador financeiramente.

B- Tu tens uma imagem de presunçoso, uma pessoa presunçosa. Algumas pessoas até dizem que és um bocado cabutino e narcisico. Porquê?

PT- Não percebo porque é que se instalou por aí essa ideia. Juro que não possuo essas caracteristicas. Basta ver, por exemplo, que me considero o 2º melhor Administrador de Rádio do Mundo. Se fosse como tu dizes, mentia-te e dizia que estava em 1º lugar.

B- Há alguma razão em especial que tu sejas presunçoso. Que tenhas esse ar de empedernido?

PT- Outra vez, a mesma pergunta? Pá, eu acho que não sou assim. Já te disse até a razão. Mas todos os defeitos que eventualmente me possam apontar, batem e resvalam na couraça da minha indiferença. O que interessa é a opinião que as pessoas que me rodeiam têm de mim, e essa eu posso afirmar que não podia ser melhor.

B- Esta é uma pergunta que muita gente quer conhecer a resposta. Tem a ver justamente com o que estavamos a falar, no que diz respeito à presunção. Imagina, livre de qualquer compromisso profissional, como é que podes passar um Sábado de Verão? Que é que fazes num Sábado de Verão? Sem falar na parte profissional, portanto imagina num Sábado que não tens nada para fazer...

PT- Hum...essa pergunta é complicada. Não sei, talvez fosse aparar o cabelo....he, he, he...

B- Almoçavas alguma coisa especial, ou não?

PT- Não, comia um Hamburger no McDowel´s. Senão chegava atrasado ao barbeiro.... he, he, he

B- A comida passa-te ao lado?

PT- Passa um pouco. Temos uma vida tão acelerada, que temos que dar prioridade ao que de facto interessa.

B- Hobbies?

PT- O meu hobbie é bastante curioso. Gosto de brincar no Cottonétio a fazer rádios de brincadeira...

B- Para finalizar, quais são os teus planos imediatos?

PT- É pá, esta semana ainda tenho que pensar em mais 3 ou 4 rádios. Ouvir novas mixs de temas da Celine Dion, deste espectáculo novo, que ela tem em Las Vegas, e pouco mais. E depois preparar a digressão do meu programa por Portugal, que vai acontecer no Verão.

B- Isto leva a só uma pergunta, eu dizia que esta era a última, mas já agora. O que fazes nas carrinhas, quando vais em digressão por esse país. Dentro da carrinha, o que é que fazes?

PT- Curioso, hem.... Regra geral, nem vou de carrinha, mas quando vou, levo um baralho de cartas e jogo paciência. Nao sei porquê, mas acabo quase sempre por viajar sózinho com o meu motorista. As pessoas acabam por tomar outras opções de transporte.

B- Portanto, e para terminar aquilo que estavas a dizer, os teus planos imediatos tem a ver com digressão, a maior possivel.

PT- Sim. A maior possivel. Vou ao Porto, a Lisboa, a Freixo de Espada à Cinta e ainda está programada uma deslocação ao Corvo.

B- Estás a apresentar Pêro Turjal na Comercial, um programa de rádio sobre novos valores da música. Na tua vida, onde é que entra a música?

PT- Entra logo que nasci. Eu nasci quase dentro de uma rádio. Quase que nasci a ouvir música.

B- Lembras-te de alguma música?

PT- Ó pá tantas, que nem vou referir nenhuma. Talvez o Strangers in the Night.

B- E o Nat King Cole? Isto é só pra eu demonstrar que eu também sei um bocadinho de música.

PT- Esse não estou a ver quem é...

B- Que música é que ouves normalmente?

PT- Phil Collins, Queen, Celine Dion, Genesis, Pedro Abrunhosapor aí. Essencialmente música pop de qualidade.

B- É curioso que, quando nós falamos de música, a música representa sempre emoções, não é? Emoções, sitios especiais. Tens sitios especiais, músicas especiais?

PT- Hás-de ter muito a ver com isso....

B- Conta lá...

PT- Bolas. Vou fazer-lhe uma pergunta que uma vez o Scolari fez. "Você entende português, rapaz?"

B- Lembras-te do 1º disco que compraste?

PT- Acho que já respondi a isso, mas julgo que foi um dos Beatles. Espera, foi um dos Hot Chocolate.

B- Nós, quando somos novos, ouvimos até à exaustão, não sei se aconteceu contigo, músicas, não é? Aliás, estamos a criar as nossas referências, portanto ouvimos... Já te aconteceu, de repente, redescobrires as músicas que ouvias insistentemente enfim, com 13 anos, 12 anos.

PT- Eu ainda continuo a ouvi-las até à exaustão. Nem consigo ouvir o que se faz agora. Aquilo é só barulho e asneiras. Nem deviam deixar passar essas coisas na rádio.

B- E já se ouve de uma forma completamente diferente, não é? Mas vem ...esse flashback.


PT- Eu continuo a sentir-me quase uma criança no Jardim Escola. Continuo a ouvir essas músicas da mesma forma.

B- Cantor preferido?

PT- Luis Represio.

B- E estrangêro?

PT -Phil Collins, naturalmente.

B- Que é que te apaixona mais? Música, televisão, cinema, teatro, poesia. Tudo te apaixona, tudo te toca? A pergunta é a paixão mesmo, eu quero entrar por aí.

PT- O que mais me apaixona é a rádio.

B- Tu és um homem que te apaixonas facilmente? Nunca, nunca te apaixonas?

PT- Ainda continuo apaixonado pela rádio.

B- Tu apaixonas-te muito, na perspectiva de quando estás apaixonado, é paixão daquela que arde, é fogo que arde...

PT- Para mim a rádio é isso tudo.

B- Namoraste muito, ou não? Quando digo muito, é muito diversificado...Muitas namoradas, tiveste muitas namoradas, ou não?

PT- Até hoje só tive uma, que é a rádio.

B- E a esse propósito, comenta-se que, ou pelo menos eu ouvi dizer, que tu terias dito que irias casar em breve.

PT- Já sou casado com a rádio há uma série de anos. Agora a sério, já sou casado há muito tempo. Não estou a ver o interesse dessa pergunta

B- Não?

PT- Pois não!

B- Então é a altura certa...deixa-me só dizer o seguinte, que há muita gente que nos está a ouvir que ficou aliviado. Não sei porquê, ainda ficam com alguma esperança.

PT- Óh homem isso é invenção das revistas côr-de rosa.

B- Mas isso é uma coisa que cada vez mais acontece em Portugal. Imaginam uma coisa e publicam.

PT- É isso mesmo.

B- Tu imaginas-te, tens um prazo na tua vida para te casares, ou isso não faz parte sequer dos teus planos, pensares nesses termos.

PT- Outra vez? Não te disse já que sou casado? Parece que é estúpido!

B- Mas vês-te um belo dia, com um rancho de filhos, dentro de uma carrinha, a deixá-los à porta da escola etc...

PT- Ái o caraças!!!!

B- E a gritar...não faças isso...

PT- Tás aqui tás a levar um soco!

B- Férias, como é que estamos de férias?

PT- Up Yours

B- Posso saber onde?

PT- No cú do conde....hehehehe...

B- Não?

PT- Hás-de ter muito a ver com isso, ó sua besta!

B- Mais ou menos?

PT- Nem mais nem menos. Não tenho nada que estar a responder a perguntas ridículas.

B- Que chato, não diz nada! Praia, gostas muito de praia?

PT- Tás a pedi-las, tás!! Olha, senta-te aqui

B- Portanto, prá ai num sítio tropical?


PT- Ai o "#$#%&/()!!

B- Pra onde foste o ano passado?

PT- Pró raio que te parta!! &%/&-#" que é estupido!

B- E não podes dizer quando vais fazer férias? Ah, no final de Junho, então na Costa da Caparica a gente encontra-se!

PT- (nesta altura Pêro Turjal fez um gesto obsceno, com o seu dedo médio esticado)

B- Pêro, projectos futuros?

PT- Vai-te lixar!!

B- E cheio de planos pessoais, também, pelos vistos?

PT- Se calhar vou abrir mais uma rádio

B- Posso saber como se chama?

PT- Sim, a REE-Rádio Entrevista Estúpida

B- Muito bem. Sábado, Primavera, Dia de Sol, não tens nada para fazer a nível profissional, que é que fazes? Que é que fazes num dia de Sábado de Primavera com Sol?

PT- Que faço? Cuido da minha roupa

B- Passeias com os teus cães e os teus cavalos?

PT- Não tenho animais desses.

B- Também tens uma burra?

PT- ... Se fosses do sexo feminino tinha aqui uma á minha frente..

B- E então onde é que fazes isso tudo?

PT- Se não acabas com isto rápido, levas cá um banano!!

B- Então vocemessê tem cavalos, tem burra, mas a burra e os cavalos não vão contigo prá piscina?

PT- Prá donde? Prá Piscina? Se não acabas com as perguntas parvas rapidamente não respondo por mim..

B- E os cães?

PT- Se eu os tivesse, atiçáva-tos!

B- Ah maganos!!

PT- Aí é que vias o que acontecia a gente da tua laia, que só faz perguntas parvas!!

B- Muito bem, Pêro, agora, tive muito gosto em ver-te, tive muito gosto em que tu estivesses aqui connosco, não é preciso dizer mas quero-te afirmar isto, os maiores sucessos profissionais. Uma beijaça grande. Obrigado"

PT- Adeus ó vai-te embora!!!